05 fevereiro 2013

A menina que roubava livros.




Oi pessoal, tudo bem?
Para quem curtiu o clássico A menina que roubava livros, foi definido o elenco para o filme com estréia prevista para 2014.
Sinceramente não consegui terminar o livro,  achei uma leitura muito parada. Comecei a ler assim que foi lançado, mas não consegui chegar nem na metade.
Com certeza vou querer ver o filme e quem sabe assim termino a leitura.

Bom, vamos ao elenco e notícias sobre o filme:

Com estreia prevista para 2014 nos Estados Unidos (segundo site IMDb), a adaptação será dirigida por Brian Percival (Downton Abbey).
Liesel Meminger será interpretada pela atriz Sophie Nélisse, estrela do indicado ao Oscar Monsieur Lazhar. Geoffrey Rush (indicado ao Oscar por O discurso do Rei) e Emily Watson (Anna Karenina) viverão seus pais adotivos.
A produção é de Karen Rosenfelt e Ken Blancato e as filmagens começam nesse mês, em Berlim.
Para quem ainda não leu o livro, vou deixar aqui a sinopse:
Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em "A Menina que Roubava Livros", livro há mais de um ano na lista dos mais vendidos do "The New York Times".
Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade desenxabida próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido da sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, "O Manual do Coveiro". Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro de vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes.
E foram estes livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de rouba-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto a sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar.
Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal. Mas só quem está ao seu lado sempre e testemunha a dor e a poesia da época em que Liesel Meminger teve sua vida salva diariamente pelas palavras, é a nossa narradora. Um dia todos irão conhece-la. Mas ter a sua história contada por ela é para poucos. Tem que valer a pena.
O livro está na faixa de $39,90

Confesso que relendo a sinopse deu muita vontade de tentar de novo. Vocês já leram? Acham que vale a pena?

6 comentários:

  1. Só digo uma coisa.
    "Quando a morte conta uma história, você deve parar pra ler".
    É de longe meu livro preferido.
    Li ele quando tinha 15 anos, faz um tempinho já, e o reli ano passado.
    O começo realmente é massacrante, no entanto, o desenrolar é compensador.
    História emocionante, personagens curiosas, um cenário melancólico.

    Parabéns pelo Blog, primeira vez que entro e já me deparo com uma das melhores noticias dos ultimos anos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, estou achando que vou dar mais uma chance para esse livro.
      Agora estou super curiosa para o lançamento do filme :)

      Obrigada pela visita. Beijos

      Excluir
  2. Você devia ler, a leitura é um pouco cansativa no começo mas com certeza vale a pena! Foi de longe o livro que eu mais chorei lendo, mas achei super interessante olhar a segunda guerra mundial pelo lado do sofrimento dos alemães que não concordavam com aquilo tudo, ou pela inocência das crianças que não faziam ideia do que estava acontecendo. O livro me marcou tanto que até hoje eu imagino a morte narrando a cor do céu em momentos tristes.
    Estou adorando o novo rumo do blog. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, bom saber que esta leitura vale a pena. Vou ler antes que o filme seja lançado, para poder fazer aquelas comparações que as vezes nos agradam e outras nem tanto. Hehe
      Obrigada pela visita e fico feliz que tenha gostado. Beijos

      Excluir
  3. Eu tenho esse livro.. e como já foi dito aqui é um pouco desencorajador no comecinho, mas é ótimo.. A historia começa a te envolver de uma forma que vc acaba terminando o livro e querendo mais...

    O final é emocionante... Leia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, com certeza vou ler....vcs me encorajaram ehehe
      Depois faço uma resenha contando o que achei ;)
      Obrigada!! =*

      Excluir